AgronegócioAlimentosBalsasBrasilEconomiaGeralMaranhãoMeio Ambiente

Soja deve crescer 3% na safra 2019/20

No caso do milho, há potencial para chegar a 100,3 milhões de toneladas, queda de 1%

A safra brasileira de soja da temporada 2019/20 tem potencial para atingir 122,9 milhões de toneladas, de acordo com o analista-chefe da DATAGRO Grãos, Flávio Roberto de França Júnior. Se esse volume for realmente concretizado, representará um crescimento de 3% sobre o resultado da safra anterior.

Segundo aponta o mais recente levantamento da consultoria agrícola independente referente a 31 de janeiro, a área plantada com a oleaginosa no ciclo 2019/20 está prevista em 37 milhões de hectares. Isso significa um avanço de 2,9% em relação à safra anterior. Por outro lado, a produtividade média está estimada em 3.319 quilos por hectare, um rendimento levemente abaixo da temporada passada.

MILHO

“No caso do milho, a safra brasileira total 2019/20 tem potencial para alcançar 100,3 milhões de toneladas, montante que se for confirmado significará queda de 1% na comparação com o resultado do ciclo anterior. A área total plantada com o grão na temporada 2019/20 está estimada em 18 milhões de hectares, avanço de 2% na comparação com a safra anterior”, aponta a DATAGRO Grãos.

De acordo com os especialistas, a safra de verão deve chegar a 25 milhões de toneladas, recuo de 4%. Além disso, a segunda safra (popularmente chamada de safrinha) deve totalizar 75,3 milhões de toneladas, o que representa uma ligeira queda em relação ao volume do ciclo anterior.

CLIMA

Mapas climáticos analisados pela Consultoria ARC Mercosul apontam chuvas pesadas em todas as regiões sojicultoras do Centro, Norte e Nordeste do Brasil nestes próximos 5 dias: “Até o dia 10 de fevereiro, totais entre 40-75mm são projetados para todo o norte do Paraná, São Paulo, norte do Mato Grosso do Sul, todo o Mato Grosso, Goiás e todo o MATOPIBA. Nossos clientes já estão relatando problemas acentuados na falta de janela de colheita e tempo aberto é necessário imediatamente”.

“Entretanto, para Goiás, Mato Grosso, sudoeste de Minas Gerais e São Paulo as chuvas intensas são projetadas para durar até a segunda metade de fevereiro. No Rio Grande do Sul, o padrão estabelecido atualmente é de temperaturas elevadas e céu limpo. Vale lembrar que a grande maioria da safra gaúcha está em estágios de reprodução e uma estiagem prolongada impediria um desenvolvimento saudável”, concluem os analistas da ARC Mercosul.

Fonte: Agrolink

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo